ELEIÇÕES 2022
Número de mulheres candidatas nas eleições é recorde

Data da noticia:

Com 9.415 pedidos de registro de candidaturas, o que representa 33% dos concorrentes a uma vaga nas eleições de 2022, as mulheres terão participação recorde nas urnas neste ano. O crescimento feminino na política, porém, vem desacelerando no país. Enquanto o aumento foi de 60,6% de 2010 a 2014, e de 13,3% de 2014 a 2018, neste ano o crescimento ficou em 2,2% em comparação com as eleições gerais anteriores. Os dados parciais são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base nos registros informados na plataforma Divulgacand na última terça-feira (16).

De acordo com a cientista política Maiane Bittencourt, que estuda a participação de mulheres na política e é pesquisadora do Observatório do Legislativo Brasileiro, ligado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), a desaceleração do crescimento é uma tendência e o principal motivo é a falta de financiamento. Um caso que ilustra esse cenário é o da disputa eleitoral no Ceará. A atual governadora, Izolda Cela, mesmo estando no controle do Executivo, não foi a escolhida pelo seu partido, o PDT, para concorrer às eleições de 2022, sendo preterida pelo ex-prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio, apoiado por Ciro Gomes. O caso contrariou o PT, que apoiava a reeleição da governadora, e a presidente da legenda, Gleisi Hoffmann, disse que a troca teve teor machista. Após o episódio, Izolda deixou o PDT.

As mulheres são maioria no país. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados em julho pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 51,1% da população brasileira em 2021 era do sexo feminino. O dado representa 4,8 milhões de mulheres a mais que homens no Brasil. Apesar disso, o número de candidatas mulheres ainda está longe de espelhar a sociedade. O estado, por exemplo, com a maior proporção de candidatas é o Rio Grande do Norte, com 194 mulheres (35,54% do total). Já a unidade da federação com menos candidatas é o Rio de Janeiro, com 868 mulheres (31,89%).

Entre as legendas, o PL do presidente Jair Bolsonaro lidera o ranking de partidos com mais candidatas, tendo 501 mulheres. O número ainda é a metade das candidaturas dos homens: 1.077. O PCB, apesar de ter lançado Sofia Manzano à Presidência da República, fica na base do ranking, com 30 mulheres – e 53 homens. Eles também são os partidos em primeiro e em penúltimo lugar em número de candidaturas, respectivamente.

Cota feminina nas eleições
O menor destaque dado pelos partidos às mulheres foi o que motivou a elaboração da lei que os obriga a terem ao menos 30% de candidaturas femininas. “Para cumprir a cota, as mulheres estavam entrando como candidatas laranjas e isso só mudou quando isso foi descoberto e começaram a caçar os mandatos”, diz a pesquisadora. Em 2022, são quatro candidatas à Presidência e sete candidatas à vice-presidência. No Executivo estadual, a diferença fica nítida. São 38 mulheres concorrendo ao cargo de governadora e 89 ao cargo de vice-governadora.

Para a disputa presidencial, são quatro candidatas entre os 12 postulantes. Para o cargo de governador, são 38 mulheres e 185 homens. Para o Senado, 53 mulheres e 179 homens. Já para deputado federal, 3.543 mulheres dividem espaço com 6.729 homens. Por fim, para deputado estadual, são 5.330 mulheres e 10.906 homens. Com informações da CNN.



Compartilhe esta noticia com seus amigos:






Um produto da
Empresa Jornalística CP de Rondônia Ltda.
@Todos os direitos reservados